DOCÊNCIAS-NÔMADE NA EDUCAÇÃO: O QUE NOS FORÇA A PENSAR?

Letícia Regina Silva Souza, Ana Carolina Justiniano, Tamili Mardegan da Silva

Resumo


Trata-se de um recorte atemporal de pesquisas que apresentam como seus intercessores teóricos Deleuze e Guattari e que estão interessadas nos acontecimentos produzidos pelas docências nos territórios movediços da educação, tendo como um de seus principais objetivos problematizar as composições das formas e dos fluxos que produzem outras docências possíveis. Movimentos que, deslocados pela filosofia da diferença, entrelaçam-se aos pensamentos abertos que provocam e forçam ao exercício de (des)apropriar, (des)continuar e (des)alocar o arcabouço de uma educação que esteve, e ainda está, legitimada nos princípios da padronização, da verdade e da homogeneização do fazer pedagógico, ou seja, de uma ciência moderna, pautada nos ideais cristalizados de uma educação régia. Objetiva, ainda, defender que as docências se realizam com as experiências e com os encontros vivenciados cotidianamente por docentes-discentes, nos diferentes territórios da educação, na efemeridade de uma vida-corpo, que rompe com o instituído.


Texto completo:

PDF

Referências


DELEUZE, Gilles. A imanência: uma vida. Educação e realidade. Porto Alegre, v. 2, n. 27, p. 10-18, jul./dez. 2002a.

DELEUZE, Gilles. Conversações. Tradução de Peter Pál Pelbart. São Paulo: Ed. 34, 2013.

DELEUZE, Gilles. Espinosa: filosofia prática. São Paulo: Escuta, 2002b.

DELEUZE, Gilles. Foucault. 1ed. São Paulo: Brasiliense, 2005.

DELEUZE, Gilles. Lógica do sentido. Tradução de Luiz Roberto Salinas Fontes. São Paulo: Perspectiva, 2017.

DELEUZE, Gilles. O abecedário de Gilles Deleuze, entrevista à Claire Parnet. Traduzido por Tomaz Tadeu da Silva, 1988. Disponível em: . Acesso em: 20 set. 2020.

DELEUZE, Gilles. O Método da Dramatização 1859-1941. In: DELEUZE, Gilles. A ilha deserta e outros textos. São Paulo: Editora Iluminuras, 2002c p. 112-140.

DELEUZE, Gilles. Pensamento nômade. In: Nietzsche hoje? Colóquio de Cerisy. Organização e revisão técnica Scarllet Marton. Tradução Milton Nascimento e Sônia Salzstein Goldberg. São Paulo: Brasiliense, 1985.

DELEUZE, Gilles; GUATTARI, Félix. Mil platôs: capitalismo e esquizofrenia. São Paulo: Ed. 34, 2012a. v. 3.

DELEUZE, Gilles; GUATTARI, Félix. Mil platôs: capitalismo e esquizofrenia. São Paulo: Ed. 34, 2012b. v. 4.

DELEUZE, Gilles; GUATTARI, Félix. Mil platôs: capitalismo e esquizofrenia. São Paulo: Ed. 34, 2012c. v. 5.

DELEUZE, Gilles; GUATTARI, Félix. O que é filosofia? Rio de Janeiro: Editora 34, 1992.

DELEUZE, Gilles; PARNET, Claire. Diálogos. São Paulo: Escuta, 1998.

GUATTARI, Félix; ROLNIK, Suely. Micropolítica: cartografias do desejo. 12. ed., 4ª reimpressão (2017). Petrópolis: Vozes, 2013.

FERRAÇO, Carlos Eduardo. Pesquisa com o cotidiano. Revista Educação e Sociedade. Campinas, v. 28, n. 98, p. 73-95, jan./abr., 2007.

LINS, Daniel. Sujeitos e devires: o corpo-drogado. In: LINS, Daniel (org.). Nietzsche e Deleuze: pensamento nômade. Rio de Janeiro: Relume Dumará; Fortaleza, CE: Secretaria da Cultura e Desporto do Estado, 2001.

ROLNIK, Suely. Esferas da insurreição: notas para uma vida não cafetinada. São Paulo: n-1 Edições, 2018.




DOI: https://doi.org/10.34112/1980-9026a2021n44p207-217

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Linha Mestra Associação de Leitura do Brasil (ALB)
e-ISSN: 1980-9026
DOI: https://doi.org/10.34112/1980-9026

Licença Creative Commons