Alegria e diversão: as brincadeiras de rua são materializadas no recreio?

Vania Maria Batista Sarmanho, Simone de Jesus da Fonseca Loureiro, José Anchieta de Oliveira Bentes, Lorena Bischoff Trescastro, Lúcia Cristina Azevedo Quaresma

Resumo


O artigo tem por objetivo investigar o interesse de crianças do 3º ano do ensino fundamental por brincadeiras de rua vivenciadas no recreio em escolas públicas, localizadas em Belém-PA. A metodologia de coleta de dados compreendeu a análise documental de quarenta textos escritos por crianças em contexto escolar sobre o tema hora do recreio. Na análise dos dados, fundamentada em Vigotski (2008, 2018), Kramer (2007) e Soares (2022), foram identificadas cento e trinta e duas ocorrências de brincadeiras, agrupadas em seis categorias: pira, bola, salto, tabuleiro, polícia, parquinho. Os resultados revelam que brincadeiras populares estão presentes no imaginário infantil e, na escola, as brincadeiras de rua são vivenciadas pelas crianças no recreio.


Palavras-chave


Brincadeiras de rua; Recreio; Interações sociais.

Texto completo:

PDF

Referências


BORBA, Ângela Meyer. O brincar como um modo de ser e estar no mundo. In: BEAUCHAMP, J., PAGEL S. D., NASCIMENTO, A. R. (org.). Ensino fundamental de nove anos: orientações para a inclusão de seis anos de idade. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Básica, 2007, p. 31-45.

BRANDÃO, Carlos Rodrigues. A educação como cultura. Campinas: Mercado das letras, 2002.

KRAMER, Sônia. Infância, cultura contemporânea e educação contra a barbárie. In: BAZÍLIO, L. C.; KRAMER, S. (org.). Infância, educação e direitos humanos. São Paulo: Cortez, 2008, p. 83-106.

KRAMER, Sônia. A infância e sua singularidade. In: BEAUCHAMP, J., PAGEL, S. D.; NASCIMENTO, A. R. (org.). Ensino fundamental de nove anos: orientações para a inclusão da criança de seis anos de idade. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Básica, 2007, p. 13-23.

PACHECO, Tatiana do Socorro Corrêa; ANDRADE, Simei Santos. Infância e história: concepções, reflexões e contribuições para a educação de crianças. In: ANDRADE, S. S.; PACHECO T. S. C.; JUNIOR, R. C. A. S. (orgs.). Estudos da infância: pesquisa na Amazônia. Belém: Paka-Tatu, 2023, p. 23-46.

RECREIO. Dicio. Disponível em: https://www.dicio.com.br/recreio/. Acesso em: 10 fev. 2023.

SARMANHO, Vania Maria Batista. As brincadeiras no recreio: ações volitivas nos textos escritos por crianças do terceiro ano do ensino fundamental. 2019. 146f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade do Estado do Pará, Belém, 2019. Disponível em: https://ccse.uepa.br/ppged/wp-content/uploads/2020/01/vania_maria_batista_sarmento.pdf. Acesso em: 30 jun. 2023.

SOARES, Magda. Alfaletrar: toda criança pode aprender. São Paulo: Contexto, 2022.

UNICEF. Declaração dos direitos da criança. 1959. Disponível em: https://www.unicef.org/brazil/media/22026/file/declaracao-dos-direitos-da-crianca-1959.pdf. Acesso em: 10 fev. 2023.

VIGOTSKI, Lev Semionivich. A brincadeira e o seu papel no desenvolvimento psíquico da criança. In: Revista Virtual de Gestão de Iniciativas Sociais. Trad. Z. Prestes., Rio de Janeiro: UFRJ/LTDS, jun. 2008, p. 18-36. Disponível em: https://isabeladominici.files.wordpress.com/2014/07/revista-educ-infant-indic-zoia.pdf. Acesso em: 06 mar. 2019.

VIGOTSKI, Lev Semionivich. Imaginação e criação na infância: ensaio psicológico: livro para professores. Trad. Z. Prestes e E. Tunes. São Paulo: Expressão Popular, 2018.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Linha Mestra Associação de Leitura do Brasil (ALB)
e-ISSN: 1980-9026
DOI: https://doi.org/10.34112/1980-9026

Licença Creative Commons