BRINQUEDOS DE CINEMA: EPISTEMOLOGIA E EDUCAÇÃO

Armando Manoel Neto

Resumo


Este artigo indica e questiona alguns dispositivos cinematográficos experimentados em diferentes contextos pedagógicos para sintetizar imaginações e reflexões teóricas que emergem quando se faz cinema em contextos de arte educação.  O texto segue um caminho baseado na observação de percursos e de resultados das práticas de jovens em oficinas e salas de aula, do ensino livre, médio e superior, que se assemelham por serem experiências mediadas por dispositivos cinematográficos trabalhados em atividades seriadas. O texto não está fixado em experiências empíricas e pontuais, mas parte delas para estabelecer conexões de sentidos e atravessamentos essenciais para um entendimento pedagógico do empenho do cinema na educação dos jovens. Propomos pensar assim as imagens, as visualidades e o olhar tanto do espectador, quanto do criador audiovisual, direcionados para dentro do projeto educativo dos espaços, objetos técnicos e modos de fazer da sociedade na qual vivemos. 


Texto completo:

PDF

Referências


BERGALA, Alain. A hipótese-cinema: Pequeno tratado de transmissão do cinema dentro e fora da escola. UFRJ, 2008.

EISENSTEIN, Sergei. Fora do Quadro. IN: EISENSTEIN, Sergei. A forma do filme. São Paulo: Zahar, 1990, p. 35-48.

FÓRUM NICARÁGUA. A pedagogia do dispositivo: pistas para criação com imagens. IN: Cinema-Educação: políticas e poéticas. Cesar Leite, Fernanda Omelczuk e Luiz Augusto Rezende (orgs). – 1.ed. – Macaé: Editora NUPEM, 2021

FREIRE, Marcius. Rouch: derivas entre o “cinema direto/verdade” e o “Cinema vivido”, IN: Significação Revista de Cultura Audiovisual, ano 39, nº38 2012.

GONÇALVES, Marco Antônio. O real imaginado. Etnografia, cinema e surrealismo em Jean Rouch. Rio de Janeiro: Topbooks, 2008.

HIKIJI, Rose Satiko Gitirana. “Microfone senhora.” IN: Vivências. Nº 30. 2006.

KENSKI, V.M. Educação e tecnologias. O novo ritmo da informação. 6ª edição, Ed. Papirus, 2010.

LINS, Consuelo. O documentário de Eduardo Coutinho: televisão, cinema e vídeo. Rio de Janeiro: Zahar. 2004.

MARTIN, Marcel. A linguagem cinematográfica. São Paulo: Brasiliense, 2003.

MENEZES, Paulo. Sociologia e Cinema - aproximações teórico-metodológicas. IN: Teoria e Cultura, v. 12, p. 17-36, 2017.

METZ, Christian. Linguagem e cinema. Tradução de Marilda Pereira. São Paulo: Perspectiva, 1980.

MIGLIORIN, Cezar; BARROSO, Elianne Ivo. Pedagogias do cinema: montagem. Significação: Revista de Cultura Audiovisual, v. 44, p. 15-28, 2016.

PIPANO, Isaac. “Saber que o outro me pensa: comentários sobre estética e política do documentário e educação”. IN: Cinema-Educação: políticas e poéticas. Cesar Leite, Fernanda Omelczuk e Luiz Augusto Rezende (orgs). – 1.ed. – Macaé: Editora NUPEM, 2021.

SANTAELLA, L. Cultura das mídias (verbete). In: MILL, D. (org.).Dicionário Crítico de Educação e Tecnologias e de Educação a Distância. Campinas: Papirus, 2018.




DOI: https://doi.org/10.34112/1980-9026a2022n46p322-332

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Linha Mestra Associação de Leitura do Brasil (ALB)
e-ISSN: 1980-9026
DOI: https://doi.org/10.34112/1980-9026

Licença Creative Commons