A LEITURA DE GÊNEROS DISCURSIVOS – PRÁTICA PEDAGÓGICA PARA CONSCIENTIZAÇÃO DO CONTEXTO SOCIOCOULTURAL DO EDUCANDO

Marilza Borges Arantes

Resumo


Este estudo compõe-se de uma breve pesquisa acerca da estrutura dos gêneros discursivos sob bases teóricas bakhtinianas. Essa teoria é suporte para a ideia de que os gêneros discursivos são instrumentos pedagógicos que levam à conscientização, acesso e mobilidade social, considerando que são socialmente construídos, tendo em vista o contexto cultural (espaço, tempo) em função do uso em uma determinada esfera. Sendo assim, são objetos de poder, pois trazem implícitos na linguagem discursos ideológicos que requerem uma prática pedagógica crítica, de conscientização, de forma interativa, professor e aluno, na sala de aula.

Texto completo:

PDF

Referências


AUERBACH, Elsa. The politics of the ESL classroom: Issues of the power in the pedagogical choices. In: Tollefson, J. (Ed.). Power and indequality in language education. New York: Cambridge University Press. 1995.

BAKHTIN, Mikhail Volochínov. Marxismo e filosofia da linguagem. Trad. Michael Lahud e Yara Frateschi Vieira. 4. ed. São Paulo: Hucitec, 1988. 196 p.

______. Estética da Criação Verbal. Trad. Maria Ermantina Galvão G. PrereiraSão Paulo: Martins Fontes, 1997.

COOPE, B., KALANTZIS, M. The power of literacy and the literacy of power. In: COPE, B.; KALANTZIS, M. (Ed.). The power of literacy: A genre approach to teaching writing. London: The Falmer Press, 1993. p. 63-89.

BARROS, Diana Luz Pessoa de. Contribuições de Bakhtin às teorias do discurso. In: BRAIT, Beth. (Org.). Bakhtin, dialogismo e construção do sentido. Campinas, SP: Unicamp, 1997. parte I, cap. 1, p. 27-38.

BOWMAN, Robert. Why America hated htm. Disponível em: . Acessado em: 17 de setembro de 2002, 16:18.

DELPIT, Lisa. Other people’s childtren: cultural conflict in the classroom. New York: The New Press, 1995.

FAÏTA, Adilson. A noção de “gênero discursivo” em Bakhtin: uma mudança de paradigma. In: BRAIT, Beth. (Org.). Bakhtin, dialogismo e construção do sentido. Campinas, SP: Unicamp, 1997. parte III, cap. 2, p. 159-177.

FREIRE, P.; Macedo, D. Literacy: Reading the word and the world. South Hadley, MA: Bergin & Garvey, 1987.

GNERRE, Maurizzio. Linguagem escrita e poder. São Paulo: Martins Fontes, 1985. 91 p.

LUKE, Allan. Genres of power? Literacy education and the production of capital. In: HAGEN, R.; WILLIAMS, G. (Ed.). Literacy in society. London: Longman, 1996. p. 308-338.

MACHADO, Irene A. Os gêneros e o corpo do acabamento estético. In: BRAIT, Beth. (Org.). Bakhtin, dialogismo e construção do sentido. Campinas, SP: Editora da Unicamp, 1997. parte III, cap. 1, p. 139-158.

MARTINS, Sérgio. O pagodão do Pagodinho. Veja, São Paulo, ed. 1846, a. 37, n. 12, p. 11-15, 24 mar. 2004.

PENNYCOOK, Alastair. Critical Applied Linguistic – an introduction. London: Lawrence Erlbaum Publishers, 2001. 195 p.

SAUSSURE, Ferdinand. Curso de Linguística Geral. Trad. Antônio Chelini, José Paulo Paes e Izidoro Blikstein. São Paulo: Cultrix, 1995.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Linha Mestra Associação de Leitura do Brasil (ALB)
e-ISSN: 1980-9026